E como impedir
que a imagem sedentária e cansada do amor
nos domine?



Olá, gente.

ABSOLUTA/amores dá seguimento à nossa Série Temática e tem
basicamente por inspiração tatear uma resposta a essa pergunta de Paulinho Moska em sua tocante canção "Vênus".
O círculo da Existência já nos mostrou inúmeras faces do amor, mas estamos aqui para trocar um pouco de luz e alcances, somando a visão de muitas colaboradoras - mais de 30! - para gerar um novo mosaico. Um outro olhar.
O amor permanece misterioso, quase indecifrável, mas todos nós o reconhecemos. Por isso, estamos no ar com vocês, para acenar, sinalizar, testemunhar e comungar o renascimento diário de outro amor, que não seja cansado nem desesperançado. Estamos aqui falando do amor que traz vida. Vida! Vida! Vida!
Não deveríamos chamar de amor o amor que não traz alegria e movimento e evolução e sabedoria. Vamos lançar o olhar jornalístico, sim, por amarguras, perdas, descaminhos, pois também trabalham a tecitura do amor terráqueo, mas ABSOLUTA/amores vai pro ar dando conta, através de diferent
es vozes, de um amor maior, aquele mais magnífico chamado e destino das criaturas deste planeta.
Que o amor nos consagre a todos, reinventado todos os dias, indecifrável mas muito real.



Para que você possa ganhar intimidade com este novo blog temático, seguem algumas dicas. O espectro editorial começa com a seção Sensibilização, onde nossas mais agudas focalizadoras apontam as facetas primordiais dos relacionamentos, as mais viscerais e espirituais, nem por isso menos reais e cotidianas.
Em seguida, a editoria Abordagens alarga o foco e traz conteúdo de outras matizes, como astrologia, magia, psicologia, feng shui, terapia vibracional, ecologia pessoal, e por aí vai, sempre com o amor como a grande pauta.
A seção seguinte, Atração, trata do modo pelo qual trabalhamos as energias ao atrair nossos parceiros, seja chamando vibracionalmente companheiros bacanas ou relações problemáticas.
Para temperar com leveza e emoção, a editoria de Vivências traz depoimentos pessoais, incluindo como, por exemplo, mulheres que nos contam como se sentiram transformadas enquanto fêmeas quando se tornaram mães e trazem impressões atuais do relacionamento com suas crias.
Em De Tudo um Pouco, nossa área de amenidades, você pode navegar por temas como amor à primeira vista, casa/separa/casa/separa, dicas de vídeos e tudo mais.
Pra finalizar - ou começar? -, sugerimos incluir no passeio o Alô do Editor, onde você vai poder sentir o clima deste espaço e pegar algumas dicas de navegação, e inclua também uma boa navegada pelos oferecimentos de Produtos e Serviços no espaço de nossos parceiros.

Tá tudo aí, então.
Navegue, divirta-se, comente, compartilhe.
E volte, pois estaremos agregando permanentemente novos conteúdos e colaborações. Amanhã, o blog já é outro... :)

RICARDO MARTINS
Coordenação

Ilustrações: Edição de arte a partir de fotos de ADOBE IMAGES e DENISE CHIARA, Roteirista e Artista Plástica



A virtude do amor é sua capacidade potencial de ser construído, inventado e modificado.
O amor está em movimento eterno.
PAULINHO MOSKA




...................................

Sensibilização





Mais ser e mais amar
Merecemos mesmo é amor de verdade, que traz vida para quem experimenta. Mas deixar de caminhar por medo das armadilhas não nos fará mulheres mais fortes. Essa é a mágica do amor, poder viver algo intenso e sereno ao mesmo tempo. Quem nos faz esse delicioso chamado é a psicóloga Juliana Gomes Garcia.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/mais-ser-e-mais-amar.html


Feminino, Masculino e a aliança entre duas liberdades
Em plena pós-modernidade, desigualdade de direitos e desrespeito entre os gêneros ainda marcam intensamente o círculo dos relacionamentos, como afirma a educadora Lucineide Nobre. Nas urgentes questões do Feminino e Masculino, eu, tu, eles e elas somos parte do problema e da solução.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/feminino-masculino-e-aliana-entre-duas.html


A mulher e a sombra do feminino na vivência do amor
Neste texto campeão de acessos em nosso site por vários meses, a terapeuta Carla Lampert aponta uma espécie de cura ao contrário: a mulher atrai um parceiro perfeito para toda a sua "inhaca interna", este alimenta suas sombras, e ela começa a ser magoada e não reconhece que está alimentando um câncer emocional... Mas a notícia boa é que isso tem cura.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/mulher-e-sombra-do-feminino-na-vivncia.html


Os muitos caminhos que levam ao amor

Não existem relacionamentos errados. Relacionar-se bem com alguém não depende de fatores externos mas, sim, de um profundo relacionar-se consigo mesmo. O universo encaixa uma peça do quebra-cabeça quando você encaixa outra... A lei da sincronicidade e dos encontros milagrosos acontece através da alquimia de nossas próprias vibrações. Confira as percepções da escritora Vivian Weyrich.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/os-muitos-caminhos-que-levam-ao-amor.html


Não procure no homem a resposta ao seu vazio

Mulheres sentem vazio gigantesco dentro de si e associam-no ao preenchimento de uma força masculina. Ao doarmos aquilo que nos pertence, ficamos sem. Nosso amor vai se extinguindo de dentro de nós. E, sem percebermos, adoecemos! É disso que fala esta contundente reflexão de Marcia Simões Lopes, jornalista e praticante da Cura Nativa.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/no-procure-no-homem-resposta-ao-seu.html


Amores Brutos e os novos homens de Gaia

Transcendendo à cultura que os educa a serem durões e sempre vencedores, novos machos da espécie apontam para o recentíssimo masculino saudável do planeta. É deles que fala o terapeuta Eduardo Sejanes Cezimbra.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/amores-brutos-e-os-novos-homens-de-gaia.html


Encontro sagrado: destino mais raro e magnífico

Estudiosa da mitologia e do simbolismo do Feminino, Zoia Petrow nos fala do divino que é ser com o outro, elemento protetor que nunca nos deixará perder o nosso ser diante do que quer que seja, inclusive do ser frente ao outro.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/encontro-sagrado-destino-mais-raro-e.html





..............................................

Abordagens






Caminhe a meu lado

Relações de co-dependência vivem a ilusão de que um completa o outro. O parceiro abandona seu próprio projeto para realizar "com amor" o projeto de vida do outro. E depois vem a conta, como explica a terapeuta Claudia Godoy.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/caminhe-meu-lado.html

Se correr o bicho pega e, se ficar, o bicho come
A psicóloga Cristiane Gaiger alerta: quando percebemos algo que nos incomoda no outro e não vemos em nós, queremos corrigi-lo e, quanto mais próximo afetivamente, mais sentimos o direito de mostrar como se faz "certo". Ou seja: veneno direto no amor.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/se-correr-o-bicho-pega-e-se-ficar-o.html

Feng Shui no quarto de casal
Na mesma linha, Gisele Cury, especialista em harmonização de ambientes, traz uma série de dicas práticas sobre eixos vibracionais entre você, seus relacionamentos e seu quarto.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/feng-shui-para-o-quarto-de-casal.html

Mapa astral composto: guia para a felicidade amorosa

Os astros têm muito a ver com o amor. Um casal só tem a ganhar quando faz o mapa astral de ambos os parceiros - o mapa composto. Antevendo quais pontos fortes e fracos da relação, a dupla pode decidir como melhor direcionar a energia. Quem dá orientações é a astróloga Giane Portal.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/mapa-astral-composto-guia-para.html

Amar e ser amado, arte difícil mas possível
Aprendemos na infância a usar máscaras e não sermos o que verdadeiramente somos. Para desconstruir esses jogos e o círculo de dores que provocam, precisamos trabalhar o ego em busca de relacionamentos mais conscientes e verdadeiros. As dicas são de Mauricio Bastos e Patricia Cuocolo, criadores de um workshop especializado nisso.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/amar-e-ser-amado-arte-difcil-mas.html

Pessoas felizes consigo mesmas atraem bons amores
Para atrair boas parcerias, você precisa primeiro amar a si mesma e isso cria um fluxo magnético que chama o melhor para você. A terapeuta Anelise Lopes desenvolve workshop sobre o assunto e comprovou na prática que pessoas felizes acabam atraindo, não só os bons ventos amorosos, mas a abundância em geral.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/pessoas-felizes-consigo-mesmas-atraem.html

O bem das terapias vibracionais para os relacionamentos
Nossos relacionamentos são aquilo de mais importante que conquistamos na vida mas, em geral, nessa área investimos pouca atenção. É necessário apurar o foco, mantendo qualidade em nossas escolhas. Para isso, contamos com terapias vibracionais, das quais nos conta a terapeuta Fátima Sortica.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/o-bem-das-terapias-vibracionais-para-os.html


As faces da Ecologia Pessoal
Ecologia não é apenas a Natureza ou algo fora de nós. Como seres vivos, também somos o próprio meio ambiente e tudo o que fazemos interfere diretamente na rede ecológica do Todo. A educadora ambiental Taís Fonseca fala de artes corporais e o que elas têm a ver com relacionamentos e ecologia humana.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/as-faces-da-ecologia-pessoal.html

Paixão e amor: a jornada do amadurecimento de Afrodite
Companheirismo ao surgir o medo da sombra do parceiro. Respeito e individualidade se aparecer o impulso de controlar o outro. Paciência no processo natural de evolução do relacionamento, o que envolve quebra de expectativas e frustrações. Tudo isso faz parte da jornada de amadurecimento das relações e de nós mesmos, de que fala Patrícia Fox, focando Afrodite. Ela ainda nos deixa uma sugestão de ritual de amor.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/paixo-e-amor-jornada-do-amadurecimento.html

Amor de alma: encontro com o Complemento Divino
Nesses tempos de tantas relações pulverizadas em que vivemos, muitas de nós já desistimos de encontrar um amor tudo a ver. Mas a terapeuta e focalizadora Simone Alves afirma que há uma chave vibracional para esse amor real chegar. Você o atrairá.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2010/01/amor-de-alma-encontro-com-o-complemento_16.html



...................................

Atração





O poder da direção do seu amor
O amor da sua vida é uma escolha vibracional, tanto para o parceiro ideal com que você sonha ou quanto para aquele homem que está a seu lado, que provavelmente foi um padrão que você atraiu, alerta a escritora Vivian Weyrich.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/o-poder-da-direo-do-seu-amor.html


Você está pronta para um "cara a cara" com o amor real?
Estamos disponíveis para a conexão mais profunda com o que somos, e não com o ideal de mocinha ou mulher fatal? A psicóloga Juliana Gomes Garcia traz chaves importantes para que a busca pelo amor não vire uma caça onde a caçadora nem saiba onde está atirando, se apaixonando pelo ato da busca em si.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/voc-est-pronta-para-um-cara-cara-com-o.html


Atraindo com Vênus e conquistando com Marte

Além de mostrar como seduzir usando energias venusianas e arianas, a astróloga Mônica Burich
dá uma aula completa sobre poder de atração.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/atraindo-com-vnus-e-conquistando-com.html


Cansada de atrair parceiro-problema? Quer mudar?

Você estará encontrando o melhor amor, o mais sublime, quando sentir que a alma está em fusão com todas as partes do seu ser. Portanto, muito cuidado com o que a mente atrai, e com o quanto você é refém dela. Publicado em nossa homepage e muito acessado, este texto da escritora Vivian Weyrich coloca luz nesses processos sutis.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/cansada-de-atrair-parceiro-problema.html


Magias para aquecer o interesse do casal e o amor por si

Jornadas triplas de trabalho matam a disposição para namorar seu parceiro durante a semana. Edu Scarfon, experiente seguidor de magia grega e sacerdote do culto wiccano, comenta o assunto e aponta algumas práticas mágicas para atuar diretamente nesse "vácuo".
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/magias-para-aquecer-o-interesse-do.html


Os ciclos da Lua e os relacionamentos

Como mulher, você tem uma instintiva conexão muito forte com os ciclos lunares. Dani Duarte, estudiosa de Magia e do Feminino Essencial, nos explica como comungar com a lua a favor do seu amor.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/os-ciclos-da-lua-e-os-relacionamentos.html


As estrelas e seu amor

A influência dos astros em nossa vida é uma área de conhecimento muito interessante e certeira. A pedido do Absoluta, Marcia Sanção, taróloga, numeróloga e astróloga, fez um super roteiro de como as estrelas influenciam os relacionamentos.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/as-estrelas-e-seu-amor.html






....................

Vivências






Em defesa dos homens. Ponto para Fiona

A escritora Adriana Razia fala do verdadeiro parceirão, aquele que faz um chá e te traz um analgésico numa noite de terríveis cólicas menstruais. E catou pérolas do universo masculino em uma conversa com um amigo culto e bem sucedido.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/em-defesa-dos-homens-ponto-para-fiona.html

Te prometo ser fiel???????
Fidelidade não é um cheque assinado em branco no altar nem algo que se deve cobrar do outro como uma atitude ética de sua parte, não é algo que se prometa: simplesmente se vive, como conta aqui Cleidi Lopes em suas impressões pessoais sobre o amor.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/te-prometo-ser-fiel.html

Adoro ser mãe!!!

Tocantes depoimentos de mulheres que contam o quanto foram transformadas enquanto fêmeas quando se tornaram mães. Engravidar é tornar-se o mundo para alguém. Ser mãe é uma experiência transformadora e traz, talvez, a vivência mais funda do amor entre seres humanos.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/adoro-ser-me.html

Sozinhos, temos uma velocidade; como um casal, temos outra

Quando estamos sozinhos, as várias camadas de nosso Ser estão assentadas, dando uma confortável sensação de casa limpa. Aí chega alguém, começamos uma relação nova e a poeira levanta. A professora de Yoga Laísa Boaventura nos faz um belo retrato desse momento tão especial, a chegada de um novo amor em nossas vidas. Cada relação, nova faxina.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/sozinhos-temos-uma-velocidade-como-um.html

Coisas que eu sei, para quem precisa saber
Várias e várias mulheres estão muito mal pelo mesmo motivo... A focalizadora Carla Lampert percebeu e gerou um instigante alerta, que tem a ver com as projeções que fazemos e com o impulso de buscarmos no outro o que não temos em nós.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/coisas-que-eu-sei-para-quem-precisa.html

Ela vai casar em seguida
Absoluta aproveitou o embalo de alguém que vai casar daqui a um mês para pedir-lhe um depoimento sobre o amor. É a vez de um coração fortão, exalando esperança e energia para todos os lados. É também nosso carinho e homenagem aos noivos.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/ela-vai-casar-em-seguida.html


Casar-se com a vida
Outro depoimento de quem vai casar em breve. A bailarina Raquel Cisne se pergunta para onde vai depois, na relação, aquela energia super concentrada dos preparativos para a cerimônia do casamento.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/casar-se-com-vida.html


O amor despenteia...
Antes, os sonhos de amor eram formatados a partir das fotonovelas. Hoje são as telenovelas e comerciais de margarina que dão o tom. O software básico de nossas vidas é um programa que aceita tudo. É o alerta de Fernanda Senger.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/o-amor-despenteia.html


De bem com a vida
Quando estamos de alma em paz, a interação com todas as pessoas se torna um exercício de troca permeado de alegria e vitalidade. Um exemplo é Márcia Cristina Menezes, terapeuta e arte-educadora. Ela nos conta como a arte e o convívio com adolescentes de baixa renda têm mexido com sua consciência sobre o amor.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/de-bem-com-vida.html


O amor impossível é o verdadeiro amor?
Existem dois tipos de amor? A escritora Cristina Guedes entende que sim e nos fala deles. Um amor, velho conhecido nosso, que muda conforme o contexto cultural das gerações, e outro bem mais profundo, metafísico, transcendendo modas e sistemas.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/o-amor-impossvel-o-verdadeiro-amor.html


Conselhos de uma fada

Um roteiro de conselhos para mulheres ganhou super identificação na web e tem feito bem a muitas internautas. Poético, sutil, mas forjado em vivências, o texto é da poeta Carolina Salcides - a Ká, como é conhecida no Orkut.
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/conselhos-de-uma-fada.html





........................

De Tudo um Pouco








Paixão à primeira vista. Primeira meeesmo?
Platão afirmava que a visão não é apenas o que os olhos podem ver na sua função física, mas também uma percepção espiritual. Para algumas vertentes espiritualistas, justamente, a paixão à primeira vista é sintoma de lembranças de vidas passadas. Pitágoras dizia que existe uma energia secreta entre contemplador e contemplado, um vínculo regido por leis ocultas, para o qual até hoje a ciência oficial passa reto.

Casa, separa. Casa, separa.
Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), continuam crescendo as taxas de divórcio, ano a ano. (*)
Por outro lado, seguindo uma tendência verificada desde 1991, tem aumentado também a legalização de uniões consensuais, casamento coletivos, registros de nascimentos, etc. Cerca de 11% das crianças nascidas no Brasil ainda não são registradas, sendo que o Amazonas já teve mais de 40% de nascimentos sem registro.
Na onda do descasamento, as estatísticas mostram que divórcios crescem mais percentualmente do que as separações judiciais.
Mas os números brasileiros apontam uma curiosidade: maio não é mais o mês das noivas, hoje em dia a maioria dos casamentos ocorre em dezembro. Especialistas dão conta de que o help do 13° influencia de perto esta preferência.

(*) Em 2007, quando se completou 30 anos da instituição do divórcio no Brasil, a taxa atingiu o pico, num crescimento de 200% em relação a 1984. Em números absolutos os divórcios concedidos passaram de 30.847 em 1984 para 179.342 em 2007.

Chocolate: o salva-vidas das relações
Ahã... Segundo Helen Fisher, antropóloga do Museu de História Natural dos Estados Unidos e autora do livro “Anatomia do amor”, o chocolate contém feniletilamina, a mesma substância que o cérebro produz quando as pessoas estão apaixonadas. Ela é uma proteína importante que age na produção da serotonina, responsável pela sensação de satisfação que estimula a motivação e a felicidade. Isso explicaria por que algumas pessoas chegam a devorar uma caixa de bombons inteira quando estão deprimidas.
Comer chocolate, então, ajuda as pessoas a ficarem mais carinhosas e abertas ao amor. Alguns pesquisadores acreditam que o hábito chega até mesmo a influenciar a libido.
E a velha história de virar chocólatra não corresponde à realidade. Essa delícia não vicia. Nosso nível de serotonina aumenta logo depois que a ingerimos mas se estabiliza em pouco tempo.
Mas você sabe: engorda um monte...

Sinais físicos se ele está na sua ou não

Numa conversa de perto com alguém, enviamos vários sinais inconscientes do nosso cenário emocional além das palavras em si. Muitas vezes, a sinalização não-verbal chega até a contrariar o que estamos dizendo.
Então, sempre é bom pesquisar e conhecer esses sinais. Um pé apontado para você, por exemplo, é sintoma certo de interesse, enquanto apontado para a porta significa que o outro está a fim é de sair de perto. Braços cruzados indicam necessidade de distância e limite, idem a segurar o cigarro com os dedos para cima e a ponta do cigarro para trás. Sutil, hein?
Ficar acariciando o sofá ou a almofada enquanto conversa pode sinalizar que você está a fim de intimidades com o outro, assim como balançar ou acariciar muito seu próprio cabelo.
O sempre cult "O Corpo Fala", livro de Pierre Weil, dá várias dicas que mostram quando o outro está interessado em você:
:: Os lábios dele ficam entreabertos enquanto olha para você;
:: As narinas se alargam e o rosto parece que se "abre";
:: As sobrancelhas dele permanecem um pouco levantadas enquanto você está falando;
:: Em pé, ele mantém as mãos no quadril enquanto conversa com você. Isso indica que ele está bem com o próprio corpo e ainda aponta para as próprias genitais;
:: Vai tocar o rosto muitas vezes enquanto conversa com você. A combinação de excitação, vaidade e auto-erotismo denunciam o interesse dele por você;
:: Ele vai começar a apertar e girar o copo ou a lata que estiver segurando, em um ato inconsciente que denuncia no que ele está pensando;
:: Vai lhe emprestar o paletó, caso você sinta frio. Em outras palavras, vai marcar o território que considera dele.
Sobre este interessante tema, veja muitos detalhes também no ABSOLUTA/beleza:
O corpo fala. E muito!! Quem tem bumbum achatado vive sob comando alheio e mulher de barriga costuma ser teimosa mas lhe falta atitude para resolver os problemas. E por aí vai. A linguagem corporal emite vários sinais de nosso panorama emocional. Confira roteiro detalhado do que representam as formas e os "probleminhas" estéticos.
http://absoluta-beleza.blogspot.com/2008/12/blog-post.html

Amar na velhice, fel ou mel? O que o poeta acha...
Um jornalista perguntou ao poeta Affonso Romano de Sant'Anna, casado há décadas com a escritora Marina Colassanti, como ele se via envelhecendo, com 60 e tantos anos, filhos crescidos, e tal. Respondeu, textualmente: “Uns envelhecem com fel, outros com mel. Minha vida está cada vez mais doce, apesar das amarguras sociais e políticas. E envelhecer não tem nenhum caráter pejorativo, melancólico. Às vezes algumas pessoas se assustam quando lêem um texto meu onde dialogo com a morte, com as rugas minhas e da amada. (...) Ah! O amor, sempre o amor! É o que nos resta de mais essencial. E é um aprendizado constante. Pensava, aos 20, que aos 30 conheceria tudo sobre isto e me apaziguaria. É o aprendizado interminável. Amar e desamar, fazer e refazer. É como a vida. O amor não pode ser uma superestrutura estética acima de todas as coisas. Ele interage com tudo. E é ele que dá sentido, é o cimento visível e invisível que une as pedras do meu edifício existencial. Do amor aos cães, do amor às plantas, às amadas pessoas que dão sentido à minha vida”.

Releituras de MPB mostram outros amores
Impressionante. Conhecendo o verdadeiro contexto que as inspiraram, certas canções da nossa MPB revelam outras mensagens - diferentes e até mais tocantes. E tudo a ver com relacionamentos, aliás.
Já rolou pela web há tempos, por exemplo, a informação de que GOSTAVA TANTO DE VOCÊ, sucesso de Tim Maia, não foi endereçada a uma namorada: Édson Trindade, o compositor, escreveu a música para sua filha falecida em um acidente. Daí se entende com outros olhos trechos famosos como: "Não sei por que você se foi/Quantas saudades eu senti/E de tristezas vou viver/E aquele adeus não pude dar".
Ok, mas pouquíssima gente deve saber que Cartola, em O MUNDO É UM MOINHO, ao escrever coisas tipo "Ainda é cedo, amor/mal começaste a conhecer a vida/já anuncias a hora de partida/sem saber mesmo o rumo que irás tomar" não falava também de uma namorada mas de sua própria filha, quando soube que ela era prostituta. Gravada também por Cazuza, agora podemos ressignificar versos como: "Presta atenção, querida/de cada amor tu herdarás só o cinismo/quando notares estás à beira do abismo/abismo que cavaste com os teus pés". Sem julgamentos, só para registro.
FLOR DE LIS tem uma tocante história, embora comenta-se por aí que a história não seja real. Em todo o caso, Djavan seria casado com Maria, os dois teriam uma filha que se chamaria Margarida, mas sua mulher teve problema seríssimo na hora do parto, daqueles de optar pela vida de sua mulher ou da bebê. Ele pediu ao médico que fizesse tudo para salvar as duas, mas o destino foi punk: ambas faleceram no parto. Ufa, então se entende melhor porque escreveu: "Morto na beleza fria de Maria/E o meu jardim da vida ressecou, morreu/Do pé que brotou Maria, nem Margarida nasceu".
Veja mais detalhes em http://www.reflexoes.diarias.nom.br/COLABORADORES/ALVARO/MPB_HISTORIADETRESMUSICAS.pdf

Vídeos imperdíveis sobre amor
Absoluta sugere que você confira algumas criações super bacanas, rápidas, acessíveis, mas imperdíveis.

:: No blog da terapeuta Cláudia Alves (http://www.maoharmonica.blogspot.com/), veja como funciona nossa terceira malha energética a partir do encontro de duas pessoas.
http://www.emfworldwidestore.com/media_files/video/new_third_lattice/in>
dex.php?v=ThirdLattice480x360& (peça legendas em português na base do vídeo)

:: No blog “Universo em Você” (http://universoemvoce.blogspot.com/search/label/Vídeos), da escritora Vivian Weyrich, na seção de vídeos e arquivos PPS, assista “O Poder de Atração do Amor”, onde a autora aborda as relações e a Lei da Atração. Disponível também no YouTube: http://www.youtube.com/watch?v=OBz9kM6lCEQ&eurl=http://universoemvoce.blogspot.com/search/label/V%C3%ADdeos

:: No site da escritora Carolina Salcides (http://www.carolinasalcides.com.br/), na seção de vídeos de seus trabalhos, confira o tocante “A Vida é Mágica”, também disponível no YouTube, cópia que reproduzimos a seguir: http://www.youtube.com/watch?v=NdZekyB4Eg4



As Cinco Consciências no Casamento

Thich Nhat Hanh é um monge budista vietnamita, mestre da Ordem Tiep Hien, budismo praticado sob o prisma do engajamento social. Ele conta que em Plum Village, toda vez que há um casamento, a comunidade inteira celebra a união e leva seu apoio aos noivos. Depois da cerimônia, a cada lua cheia, o casal recita as “Cinco Consciências” juntos, relembrando que amigos de toda parte apóiam seu relacionamento. Seja a união firmada ou não por lei, ela será mais forte e mais duradoura se tiver sido realizada na presença de uma Sangha - amigos que amam as duas pessoas e as apóiam dentro do espírito da compreensão e do amor. Antes das duas pessoas se casarem, elas têm que realizar juntas a prática da plena consciência e, tornando-se casados, deverão continuar praticando as Cinco Consciências como manifestação da Plena Consciência:
:: Somos conscientes de que todas as gerações dos nossos ancestrais e da nossa descendência estão presente em nós.
:: Somos conscientes das esperanças que nossos ancestrais, nossos filhos e os filhos de nossos filhos depositam em nós.
:: Somos conscientes de que nossa alegria, nossa paz, nossa liberdade e harmonia, são a alegria , a paz, a liberdade e a harmonia de nossos ancestrais, de nossos filhos e dos filhos de nossos filhos.
:: Somos conscientes de que a compreensão é o próprio fundamento do amor.
:: Somos conscientes de que reclamações e brigas não nos ajudam e fazem apenas crescer o fosso entre nós. É unicamente graças à compreensão, à confiança e ao amor que podemos nos transformar e crescer.
FONTE: http://interserblog.blogspot.com

Amores no Absoluta

Nossa homepage também tem uma editoria de Relacionamentos, no ar desde 2006, veja em http://www.absoluta-online.com.br/conteudo_cura_nossosamoresnossosrelacionamentos.html

E, como beleza tem muito a ver com amor, confira também o blog que iniciou nossa Série Temática, o ABSOLUTA/beleza: http://absoluta-beleza.blogspot.com



FOTOS: http://www.blogger.com/www.sxc.hu

Alô do Editor







Um alô de boas-vindas...

Espaço do Editor pra comentar detalhes da Série Temática, em especial deste blog. Novidades, sutilezas, destaques, algum feedback, nuanças de bastidores, por aí...
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/oi-de-boas-vindas-ao-absolutaamores.html


Sejamos ecológicos no amor
Aprendências de um jardineiro...
http://absoluta-amores.blogspot.com/2008/11/sejamos-ecolgicos-no-amor.html



.....................................................

Oi de boas-vindas ao ABSOLUTA/amores






















Oi, oi, oi !! A Lua nova, quase crescente, se aproxima de Júpiter poderozão e da amorosa Vênus, fazendo especial triangulação no horizonte ao iniciar a noite... Momento bom para lançar as sementes de um espaço temático sobre o amor...

Abrimos esta seção aqui para poder dar um alô mais direto, comentando detalhes da Série Temática, em especial deste blog. Novidades, sutilezas, destaques, algum feedback, nuanças de bastidores, por aí...



Sinta as abordagens... Para que você possa ganhar intimidade com este novo blog temático, seguem algumas dicas. O espectro editorial começa com a seção Sensibilização, onde nossas mais agudas focalizadoras apontam as facetas primordiais dos relacionamentos, as mais viscerais e espirituais, nem por isso menos reais e cotidianas.


Em seguida, a editoria Abordagens alarga o foco e traz conteúdo de outras matizes, como astrologia, magia, psicologia, feng shui, terapia vibracional, ecologia pessoal, e por aí vai, sempre com o amor como a grande pauta.
A seção seguinte, Atração, trata do modo pelo qual trabalhamos as energias ao atrair nossos parceiros, seja chamando vibracionalmente companheiros bacanas ou relações problemáticas.
Para temperar com leveza e emoção, a editoria de Vivências traz depoimentos pessoais, incluindo como, por exemplo, mulheres que nos contam como se sentiram transformadas enquanto fêmeas quando se tornaram mães e trazem impressões atuais do relacionamento com suas crias.
Em De Tudo um Pouco, nossa área de amenidades, você pode navegar por temas como amor à primeira vista, casa/separa/casa/separa, dicas de vídeos e tudo mais.
Pra finalizar - ou começar? -, sugerimos incluir no passeio o Alô do Editor, onde você vai poder sentir o clima deste espaço e pegar algumas dicas de navegação, e inclua também uma boa navegada pelos oferecimentos de Produtos e Serviços no espaço de nossos parceiros.

Dicas de navegação. Importante! – Tudo que é novíssimo precisa de um certo tempo de familiarização. Confira aí alguns detalhes para navegar legal em nosso blog.
:: As matérias podem ser acessadas uma a uma, em links específicos na base da página, ou por segmentos temáticos, clicando em EDITORIAS (na lateral). Optando pelo acesso individual é mais rápido mas você perde muito da graça do conjunto que há em cada editoria, cujos assuntos têm um tom parecido.
:: A imagem no topo prossegue em todas as páginas internas, ao clicá-la você volta à “home” (capa). Dois detalhes aí: como o topo permanece igual e ocupa área grande, você pode ter a impressão que ainda continua na página inicial ao acessar uma interna, pois o que muda é a área abaixo, é preciso ativar a barra de rolagem para ler. Outra situação de familiarização: ao navegar pela interna, rolando, você pode clicar na imagem do topo e vai, então, voltar sem querer à capa.
:: Para acessar nosso site, os detalhes de parceria de divulgação ou o blog de apresentação da Série, há botões na lateral com link direto.

Indique a gente – Indique esse espaço da BELEZA para amigas suas que trabalham de perto com o universo feminino. Sugira que naveguem por aqui, que colaborem na redação enviando conteúdo jornalístico, ou divulguem seus trabalhos em nossas parcerias publicitárias. É bom lembrar que temos opções para anúncios de inserção exclusiva na web (blog+site), com alcance em todas as cidades. Suas amigas bruxinhas, dançarinas, terapeutas vão poder falar mais de perto com um público tudo a ver, e todas e todos ganham com isso.
Informações detalhadas AQUI


Comente...
Perca a vergonha! –
Faça comentários nos artigos em que você se identificou e gostou. Além de compartilhar com todos, este mimo eletrônico é sempre um incentivo e orientação para a autora. Deixe a vergonha de lado e se divirta na rede. É pra isso mesmo!





Receba em casa as novidades –
Para seu conforto, e para quem não tem muito tempo para navegar, você pode receber por mail novidades, indicações de matérias, links interessantes para acessar direto no blog, eventos, páginas mais acessadas, etc. Basta se cadastrar em nosso site, é simples e rápido, e você passa a receber newsletters do Absoluta.
Estamos preparando um guia detalhado de acesso às matérias, vale a pena se cadastrar e receber essas dicas legais. Acesse em CADASTRE-SE na segunda página de nossa homepage ou acesse aqui, direto: http://www.absoluta-online.com.br/cadastrese.php
Entre para nossa rede também no Orkut em http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=20762775

Volte aqui, hein? – Pela maravilhosa essência da web, nosso blog vai crescendo em conteúdo e interatividade. Portanto, volte a navegar por aqui vez por outra. Confira também as novas dicas nesse alô do Editor. Você e a presença da sua alma serão sempre sagradas e bem-vindas pra nós.


RICARDO MARTINS

Editor

Sejamos ecológicos no amor





Do Editor




o amor profundo não arranca o que está vivo no Outro


o amor profundo traz sementes de luz e espalha no Outro com a mão leve e sutil, como quem coloca sal na comida, e se diverte com o ato de semear, fica alegre apenas por plantar e não espera pelos frutos


o amor profundo cuida do que já está germinando no Outro, e fica feliz também apenas por estar cuidando disto


o amor profundo extrai o que está morto no Outro e planta mudas novas, traz vida nova à Vida do Outro


o amor profundo não depreda: ele semeia e refloresta
o amor profundo trabalha pela auto-sustentabilidade do Outro
o amor profundo sabe que plantar é, em si, um ato perfeito e completo
flores ou frutos futuros não lhe caberão, até porque eles não são pra nós, eles simplesmente são...


devemos perder a noção de que flor ou fruto são "úteis" e, depois, aprendermos a passar nosso perfume às flores
que seu Amor não tenha fome de extrair do amado a felicidade que nos falta


que seu Amor ame seu amor
apenas



Foto: Cris Toth, professora e estudiosa da cultura maia


Encontro sagrado: destino mais raro e magnífico

Vivemos por aí bebendo da auto-ilusão de termos controle sobre tudo e todos... Triste cultura que não nos ensina a buscar o Sagrado nos relacionamentos e seu profundo mistério...
O encontro sagrado não acontece na procura do outro, mas sincronizado pela Luz criadora quando somos dele merecedores e, então, se dá de uma forma natural. É o destino mais raro e seguramente o mais magnífico que Eros criou para os seres humanos: consiste em que o outro permaneça como seu intermediário humano, uma imagem translúcida daquilo que trazemos em nossa essência.
Estudiosa da Mitologia e do Simbolismo Feminino, Zoia Petrow nos fala do divino que é ser com o outro, elemento protetor que nunca nos deixará perder o nosso ser diante do que quer que seja, inclusive do ser frente ao outro.


Nas últimas duas décadas, a questão da fidelidade é pauta das conversas e discussões em nossos relacionamentos, sendo sua base centrada na confiança que temos no outro, e principalmente quando desenvolvemos a consciência de estarmos num encontro sagrado, Uno. Na maioria dos relacionamentos, esta consciência não existe. Movidos pelo desejo do ego, passamos a exigir do outro fidelidade, quando deveríamos ser educados para uma relação rica e abundante movida pela vontade. Se tivéssemos consciência para a realização do encontro sagrado, a fidelidade não existiria nem mesmo no dicionário.
Ao retomarmos a história da humanidade, podemos constatar o quanto nos influenciou o comportamento de nossos antepassados. Nossa educação centrada no poder, no domínio e no querer somente para si, gerou o caos no qual estamos inseridos atualmente. Vivemos um dos momentos mais interessantes da humanidade e temos a oportunidade de transformar toda a nossa história herdada, e para esta realização ser efetivada o encontro sagrado é a essência de um mundo melhor.
Precisamos, urgente, nos conscientizar que fomos manipulados por milênios e com isto adquirimos maus hábitos em nossas vidas para o detrimento das relações humanas. Mas, como tudo é perfeito no todo indivisível, oportunidades nos são oferecidas para retirarmos todos os nossos medos, e a principal chave é o Amor. Somente com ele manifestado e alimentado no encontro com outro em plenitude e liberdade, transmutaremos os valores impostos, abrindo a porta para a harmonia entre os gêneros.
Esquecemos que, para a manifestação da beleza una da Luz Criadora, foi necessário o encontro das duas polaridades. Nesse esquecimento, passamos a acreditar que poderíamos como único gênero dominante reproduzir artificialmente esta luz. Criamos a separação entre os gêneros, onde quem domina é que dita as regras e, caso o dominado não corresponda, partimos à procura de um outro que corresponda às necessidades do desejo. Pois bem, vale um dito popular: quem procura, acha... sarna para se coçar.

Todo início de um relacionamento é novidade, apresentamos as nossas mais nobres qualidades e assumimos fidelidade ao parceiro. No decorrer, passamos a enfrentar o estranho espelho de toda herança recebida e começamos a nos ver com todas as neuroses, mesquinharias, fraquezas e imposturas, imputando ao outro culpas por a relação não estar mais fluindo, quando na realidade somos nós que não queremos nos ver no outro. E, assim, sem o merecido aprofundamento de nós mesmos, perdemos a visão do encontro sagrado que nos foi divinamente sincronizado, para transmutar toda a herança de negatividade.

O que nos impede de termos uma relação de fidelidade que nos trará as respostas para efetivar este encontro sagrado? O poder, a posse, o domínio no qual fomos inseridos pelos sistemas que regeram e regem a humanidade por milênios geraram o nosso medo, e passamos a esconder todas nossas fraquezas e ignorância. Por medo dessas máscaras, passamos a querer para si o outro, de estar no controle, de poder sobre o outro, nos transformamos em adversários, e constatamos hoje que não é mais possível caminharmos desta forma nos desrespeitando como seres complementares. Está chegada a hora de sermos honestos conosco em primeiro lugar e admitirmos que falhamos no caminho para o encontro sagrado. O perdão é a chave, nos perdoando e juntos caminharmos na transmutação das nossas culpas.

Onde estamos recusando a ceder controle? - Onde temos que nos entregar? Ao entregarmo-nos na sincronicidade divina, se faz necessário o mergulho no encontro sagrado com o outro para revelarmos a essência de Luz e Amor. Amar incondicionalmente é o sentimento para o qual temos que nos entregar se quisermos realmente ser seres íntegros para obtermos uma relação saúdavel e rica em transformações humanas. Porém, manipulamos a palavra e passamos a utilizá-la como sendo um sentimento que temos por pessoas desvinculadas sexualmente de nós; é o amor de mãe, pai, irmãos, filhos, amigos e de pessoas em prol de serviços humanitários, quando na realidade a base fundamental da sociedade é o casal, uno, e ele que deve alimentar o verdadeiro amor incondicional a partir de sua relação una, onde cada qual cresce e evolui individualmente, alimentando um ao outro para eliminação deste medo.
Onde estamos recusando a ceder controle para a força da Luz Criadora do encontro sagrado? Por medo, recusamos assumir a nossa responsabilidade como partes fragmentadas do divino, cedendo a ele não vivenciamos a experiência do encontro sagrado. Na união consciente com o outro, nos transformamos em assistentes da Luz criadora, influenciando e estimulando numa escala além de nós mesmos.
Onde ainda estamos sob a ilusão de que estamos no controle? O sistema vigente nos ofereceu uma infinidade de opções materiais, passamos a valorizar as máscaras adquiridas em nossa trajetória. E, a cada máscara, acrescentamos mais caos em nossas relações amorosas, nos iludindo que o problema está única e exclusivamente na máscara do outro, quando na realidade ela é partilhada, e por ambos deveria ser retirada. Necessitamos de coragem para realizarmos o parto, trazendo à luz o Ser Divino.
Como que estamos bloqueando a nós mesmos a cumprir o nosso próprio destino? O medo nos bloqueia em realizarmos o grande parto, dele ressurgirá a nossa essência luz e gerará o Ser Divino. Este parto nos provocará muita dor, são dogmas, conceitos, preconceitos, convicções que devem ser transmutadas, mas ele terá que ser realizado, e devemos resgatar a nossa vontade primordial em expressar o nosso ser com o outro para tornar o Ser Divino uma realidade em benefício, inclusive, de toda a humanidade.
Como sabemos que estamos num encontro sagrado e ressurgir dele no Ser Divino? O encontro sagrado ocorre não na procura do outro, ele é sincronizado pela Luz criadora quando dele merecedores, ele se dá de uma forma natural. O mito de Eros é a ferramenta com a qual nos descobrimos num encontro sagrado. É o destino mais raro e seguramente o mais magnífico que Eros criou para os seres humanos: consiste em que o outro permaneça como um intermediário humano, uma imagem translúcida daquilo que trazemos em nossa essência. Ser com o outro significa como o quase único que vence as mais profundas contradições da vida: estar ali onde, para ambos, está o Divino e compartilhar a fim de aprofundá-lo a tal ponto que passamos a conceber-nos no outro, consagrando assim o engendrar humano. O ser com o outro é o protetor que nunca nos deixará perder o nosso ser diante do que quer que seja, protetor inclusive do ser frente ao outro.

Zoia Petrow
Cursou Relações Internacionais, Marketing Empresarial e Cultural, Artista Plástica, estudiosa das Terapias Alternativas, Ciências e Artes Orientais, Filosofia, Mitologia e do Simbolismo Feminino
http://artmusebyzoia.blogspot.com
http://terraagora.blogspot.com
petrowzoia@gmail.com
SÃO PAULO/SP

Não procure no homem a resposta ao seu vazio

Os desvios da cultura moderna formatam mulheres enfraquecidas, infelizmente talvez a maioria delas, que acabam buscando fora o que não encontram em si - mas está ali, sim! - e terminam essa via sombria buscando no seu homem. Sentem um vazio gigantesco dentro do seu próprio interior, e então associam esse vazio ao preenchimento de uma força masculina. Ao doarmos aquilo que nos pertence, ficamos sem. Nosso amor vai se extinguindo de dentro de nós. E, sem percebermos, adoecemos! Nos tornamos solitárias. Culpadas!
É disso que fala esta contundente reflexão de Marcia Simões Lopes, jornalista, praticante da Cura Nativa e autora do livro "Águia Dourada Que Canta".
Márcia vai além, alertando: "Mães que manipulam seus filhos para conseguirem algo. Esposas que dão um jeitinho para driblar seus maridos. A quem pensam que estão enganando? Seus filhos, seus espelhos, recebem informações estranhas quanto à verdadeira natureza dessa energia que é o feminino, e que também é presente neles".

O Sagrado Feminino é a consciência que a mulher tem de que ela é um ser completo. Sem que percebam, muitas mulheres acabam "esticando", além do sentido verdadeiro da amizade e do amor, as suas relações com os seus namorados, com os seus maridos e amigos, e esse movimento do "esticar" traz no seu bojo a necessidade que o homem tem pela energia do feminino. Essa sutil energia de dependência do homem pela energia do feminino desencadeia na mulher, sem que ela perceba, outro tipo de dependência: sentir-se mãe do homem...
Nós, mulheres, trazemos a energia da criação, da intuição, da revelação do que está imerso e obscuro, trazemos a energia da transmutação que se manifesta em nosso próprio organismo através do ciclo menstrual. Quando menstrua, a mulher está preparando seu organismo para que nele possa ser gerada a vida. Assim é também a Mãe Terra que, por uma questão de sobrevivência, utiliza-se de sua própria inteligência para que nela seja gerada a vida. Por isso ocorrem os tremores de terra, as movimentações das placas tectônicas, pois para que a harmonia no interior da terra seja reestabelecida, é preciso que essa grande Mãe gere essa força.
A energia do feminino, presente na mulher e na Natureza, é geradora! É criadora! E tudo isso é bem diferente de ser mãe do homem. Essa dependência faz com que ela não abandone seu "filho" homem; a faz sentir-se responsável por ele. Culpada!
Uma energia que aos poucos vai minando a força do feminino, pois essa deixa de existir para dar lugar à outra energia: de dependência e medo!

Essa sutil relação de dependência cria laços fortes entre as partes e é muito presente nos relacionamentos entre homem e mulher, contribuindo para que seja minado o poder do feminino, nos levando ao afastamento do nosso próprio caminho.
E então, nos fragmentamos...
Substituímos parte da nossa natureza pelas necessidades alheias, enfraquecendo a nossa energia: o sagrado feminino... Que é a nossa totalidade. Que é a nossa completude... Nosso poder criativo e gerador...
Enfraquecidas, não nos percebemos e buscamos fora de nós - na maioria das vezes, buscamos no homem aquilo que é inerente à mulher.


Para que tenhamos de volta o que nos foi retirado, basta re-criarmos. Como faz a grande Mãe ao gerar a sua própria energia para seu renascer constante. Durante anos, estamos alimentando esse ciclo, confundindo o sentido da "necessidade" com o sentido do "prazer". Não necessitamos do homem para viver. Somos completas! Somos a força criadora, somos nós quem "gestamos" a vida. Sentimos prazer por estar com um homem. É diferente de necessitarmos dele!

Ao doarmos aquilo que nos pertence, ficamos sem - São muitas, quase todas, as mulheres que sentem um vazio enorme dentro do seu próprio interior, e então associam esse vazio ao preenchimento de uma força masculina. Uma situação típica nossa, não é mesmo? Mas esse vazio que sentimos dentro de nós é a carência do nosso próprio amor, que muitos homens levaram. Eles precisaram e, por nos sentirmos "mãe", nós doamos. E nada tivemos em troca. Porque a energia do masculino mais recebe. Pouco doa. É da sua natureza. Não se trata aqui de energias positivas e negativas, ou boas e ruins. Trata-se de conhecer a natureza de cada uma dessas energias das quais somos feitos: o Universo, e nós, seres humanos! A doação é uma manifestação do feminino. A Terra, na sua benevolência, doa seus frutos aos seus filhos. Mas, para cada doação, há um ciclo de energias que alimenta a terra e a auxilia para que seja pleno o seu próximo plantio. São as estações! Cada qual nos presenteia com um tipo de mineral, todos importantes para nosso crescimento, para a nossa saúde.
Ao doarmos aquilo que nos pertence, agindo por uma carência do outro, sem que seja aquela a estação propícia para a doação, ficamos sem. Nosso amor vai se extinguindo de dentro de nós. E, sem que percebemos, adoecemos! Nos tornamos solitárias. Nos sentimos mãe, e não, mulher! Nos afastamos do nosso sagrado feminino, que é o nosso poder pessoal. Nos afastamos de quem somos, essencialmente. E por isso mesmo nos sentimos fracas, carentes. Permanecemos, há tempos, presas a um tipo de furto que é tão imperceptível, tão sutil, que até colaboramos para que ele aconteça. Colaboramos para que levem aquilo que nos pertence: a energia do nosso sagrado feminino!
É importante que cada uma diga para si mesma: "Eu sou uma mulher completa! Eu não necessito do homem para ser feliz!"

A mulher é intuitiva. É receptiva, como a semente que germina na terra. Somos bruxas, é verdade, mas não somos manipuladoras. Nossa natureza é mágica, porém não oportunista. Vemos e ouvimos e sentimos além do que os homens podem fazer. Por nossa natureza generosa atraímos, no bom sentido, a energia do homem, carente desses atributos. Porém, há de se ter mais atenção às palavras proferidas quando falamos de nós mesmas, atenção também aos nossos atos. Enorme a quantidade de mulheres que manipulam os homens e os homens da família.

A mulher deve olhar para dentro de si. Buscar utilizar o seu enorme dom para construir. E não para manipular! Mães que manipulam seus filhos para conseguirem algo. Esposas que dão um "jeitinho" para driblar seus maridos. A quem pensam que estão enganando? Seus filhos, seus espelhos, recebem informações estranhas quanto à verdadeira natureza dessa energia que é o feminino, e que também é presente neles. É uma cadeia de falsos conceitos e de falsos valores que se perpetua há tempos, passada de geração para geração.
A responsabilidade com nossa força, com nossa energia é tão valiosa quanto a responsabilidade que temos com a vida do planeta onde vivemos.
Estar com o homem é um prazer, e não uma necessidade.
Hoje em dia, os homens, com seus discursos "feministas" são os nossos melhores professores. Pois eles são o espelho do equívoco criado a respeito do verdadeiro sentido do sagrado feminino. Refletem o estereótipo que a mulher criou a respeito de si mesma. Não bastasse eles se apropriarem desse falso conceito criado pela mulher, apresentam-se como nossos melhores e maiores aliados sendo que muitos, até mesmo falam do sagrado feminino sem que sequer tenham ou busquem dentro de si a compreensão da energia masculina, inerente à sua natureza. Como querem nos ensinar sobre o sagrado feminino, algo que é inerente à natureza da mulher?
É importante que estejamos atentas a esses homens que, além de falarem sobre o nosso sagrado feminino, se sentem apropriados a nos ensinarem sobre quem somos nós, mulheres! É importante atentar a esse fato pelo simples motivo deles refletirem, nada mais nada menos do que a máscara que a mulher criou para ela. É fundamental que possamos nos ver, para que possamos escolher outro caminho, outra forma de nos buscar e trazer para o nosso íntimo o verdadeiro sagrado feminino!

Marcia Simões Lopes
Jornalista, estudiosa e praticante da Cura Nativa, autora do livro "Águia Dourada Que Canta"
http://ma_lopes.blog.uol.com.br
ma_lopes@uol.com.br
SÃO PAULO/SP



Fotos: Edição de arte sobre imagem de www.sxc.hu

Amores Brutos e os novos homens de Gaia

Há uma outra luz, muito nova e quase invisível, ainda, mas real entre os machos da espécie.
Transcendendo à matrix que é a cultura que os educa a serem durões e sempre vencedores, esses novos homens de Gaia apontam para o recentíssimo masculino saudável do planeta.
Criaturas poderosas mas amorosas, yang mas sensíveis, solares mas não reizinhos...
É deles que fala Eduardo Sejanes Cezimbra, facilitador da RETRANS, dentista homeopata, terapeuta floral e, aliás, um belo exemplar da nova espécie.



Em "Amores Brutos" (Amores Perros), Iñarritu termina seu filme com esta dedicatória: "Para Luciano. Porque também somos o que perdemos." Outro título mais antigo, "Os brutos também amam", dois filmes por demais apropriados para iniciarmos esta conversa virtual.
Aliás, nada melhor que um círculo virtuoso para se sair de um círculo vicioso...
Os "Amores Brutos" dos machos da espécie já são por demais conhecidos: posse, ciúmes, abandono, traições, dominação, controle, poder, crimes passionais, violência contra mulheres e crianças.
A rinha de cachorros em que um dos personagens de "Amores Brutos" coloca seu animal na busca do enriquecimento rápido é uma metáfora do ter que vencer a qualquer custo, para ganhar a menina através de objetos de desejo consumista... As meninas que adoram meninos maus (bad boys) são reforçadoras deste círculo vicioso... O tênis de marca, o boné, o vídeogame com muitas armas e mortes sangrentas vai dessensibilizando e tornando banal tanto o consumismo de produtos de grife, quanto a violência, "fáceis" de se obter e descartar...
Também as três estórias que acontecem separadamente em "Amores Brutos", até que se entrecruzem, nos alertam para estas interações ocultas que se precipitam em trágicos acidentes de trânsito, denunciando vidas desperdiçadas.

Ironicamente, apesar de adentrarmos o novo milênio clamando por Paz, os meninos ainda são treinados para serem durões, cabelos cortados rentes, militares, para se diferenciarem das meninas, ganhando a qualquer preço e sendo incentivados a conquistarem todas elas ao mesmo tempo.
Como se meninos fossem apenas isto!

As imagens e objetos que mobilizam este comportamento competitivo e beligerante são sempre fálicas, percebem?
Armas de fogo, revólveres, carabinas, metralhadoras, espadas, carros potentes, e um futebol furioso, atrás de meter uma bola no gol para derrotar seu adversário.
Mas você pode estar se perguntando: sim, e daí?

Daí, que, muitas das vezes, a grande dificuldade dos meninos é obterem esta permissão familiar e social para demonstrarem sentimentos como amor, compaixão, solidariedade.
- Este menino é estranho!
Daí, muito se reclama dos índices de violência. Lembrando, as taxas de mortalidade entre homens jovens por acidentes de carro e armas de fogo são altíssimas, (40% das mortes são de jovens homens entre 20 e 29 anos), bem como as taxas de gravidez indesejada entre meninas adolescentes.
Afinal, o que estamos estimulando mesmo em nossas crianças e nossos jovens?!
Há muitas explicações racionais para estes acontecimentos, mas prefiro buscar no inconsciente coletivo estas projeções arquetípicas. São mais poéticas mesmo!
Os mitos que os regem ainda são os de Zeus, Teseu, Marte, Hércules, todos misóginos, machistas chauvinistas, prepotentes, facistas e traidores. Heróis impiedosos, com morte violenta, morrendo em nome da honra, sempre em nome de uma bandeira de guerra. E, para que se constelem, ou seja, para que se manifestem em surtos psicóticos, ignorem seus alertas, mormente seus aspectos positivos.
Mas haveria algum deus ou semi-deus que pudesse se elevar acima deste manjado thriller hollywodiano ou mesmo de "Amores Brutos"?
Pois acreditem, existe!
Os mistérios de Orfeu (ver também Oxumarê, Osíris) com sua lira em forma de coração, integrando seu lado feminino, capaz de encantar os animais, vejam só, o artista, antena da raça, tão maltratado nestes últimos séculos de racionalismo, os aedos, trovadores e cantadores... Estes cantores das tradições orais, oráculos do Amor, da União entre os opostos complementares - sem lutas, por favor, já basta!
Em síntese, ressensibilizar o homem é permitir-lhe o viço do Amor Universal, um coração aberto e receptivo ao "chi" cósmico, a energia da Vida.
Aprender o aikidô, sabendo que derrotar um inimigo é encarar a sua própria derrota, pois a luta rompe a sutil Unidade da Totalidade que é o Amor.
O Novo Homem de Gaia será o seu Orfeu, Oxumarê, Osíris, homem sensível, amoroso, compassivo, aquele que se viu na beleza da sua amada e para ela doou sua própria vida, capaz de descer aos infernos para a resgatar, sem se prender ao passado, seu erro fatal, o apego material que o faz olhar para trás em busca de sua amada Eurídice, pois:

T(E) = ARTE, TEMPO é ARTE!

Como já cantou nosso querido poetinha:

Soneto do amor total

Amo-te tanto meu amor... não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.

Amo-te enfim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade.
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude.

Vinícius de Morais


Dedicado a meu Doce Amor, que soube lapidar este Amor Bruto.

Eduardo Sejanes Cezimbra
50 anos, dentista homeopata, terapeuta floral, hipnólogo e facilitador da RETRANS - Rede Transcultural Holista
http://transnet.ning.com
http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?uid=8949955234760262404
ecezimbra@gmail.com
PORTO ALEGRE/RS

Amores Perros/Trailer: http://br.youtube.com/watch?v=XToRtfQbeHg
Ilustrações: Edição de arte a partir de fotos de ADOBE IMAGES

Coisas que eu sei, para quem precisa saber

A focalizadora Carla Lampert percebeu que há várias e várias mulheres muito mal pelo mesmo motivo... A busca que se precisa fazer pelo empoderamento e liberdade muitas vezes é confundida com a eterna procura de um amor perfeito... Achou sintomático e mandou bem num instigante alerta, que tem a ver com as projeções que fazemos e com o impulso de buscarmos no outro o que não temos em nós.
"O que você quer para você tem que ser criado em você", afirma Carla, "não pode ser tirado de outra pessoa, por isso estas relações onde todos acabam virando assaltantes uns dos outros..."
Confira aí! Pode ser que muita gente esteja precisando ler...


Há mulheres precisando urgentemente assumir suas lobas, suas leoas, suas rainhas, suas deusas... Tirar das sombras e porões algo muito profundo e vivo que espera por liberdade, ar fresco e diversão.
Buscam isso externamente e chamam de outras coisas, principalmente de busca por um amor. E buscam... e não encontram... e choram... e se cansam de chorar... e começam outra busca... e assim o ciclo continua.
É por ver tanto disso acontecer que continuo dizendo: mulheres, aceitem-se, amem-se, sejam egoístas e egocêntricas e serão muito felizes... mas elas insistem em cuidar de alguém, algo que não a si próprias, suas vontades e sonhos e realizações... insistem em querer o pior, o que dói e machuca... vejo muita carência afetiva e muito poder pessoal entregue a terceiros, quartos, quintos, vigésimos... que a Deusa interior de cada uma acenda nestes corações femininos uma chama forte o suficiente para queimar as ilusões e fazê-las acordar para si mesmas, para a vida que insistentemente mostra o caminho inviável através da decepção e do sofrimento, tentando assim recolocá-las no caminho da felicidade e da paz que suas almas anseiam.
A roda de repetições é a prova real do erro, da escolha mal-feita, da falta de auto-estima, da carência, do medo da solidão. Gostaria de instigar essas mulheres queridas a repensarem a si mesmas, a se reformularem, e principalmente a se determinarem a parar de percorrer insistentemente os mesmos caminhos da dor e do sofrimento, causados pela ilusão.

Acordem as lobas, as leoas, as ursas, as águias, acordem as serpentes adormecidas! Chamem essas forças anímicas para dirigirem suas vidas com sabedoria e proteção... e limites, principalmente. Sejam territorialistas, defendam o território sagrado do coração, que é o primeiro lugar que deixam ser invadido e conquistado por caçadores, rapineiros e carniceiros. Acordem os instintos, acordem a intuição, aprendam a cheirar, sentir, pressentir o perigo.

Mulheres: mais instinto, menos ilusão, mais independência emocional e intelectual. Ontem você pode ter sido uma garotinha indefesa, mas hoje, perceba... você cresceu! Falta exercício de poder, comece a praticar o seu próprio empoderamento pessoal. Falta parar de procurar no outro o que você não tem dentro de si. Você pode começar percebendo este erro, a inversão na rota desta busca. A busca é pessoal, o que você quer para você tem que ser criado em você, não pode ser tirado de outra pessoa, por isso estas relações onde todos acabam virando assaltantes uns dos outros...
Hoje existe uma mulher pronta para escolher, selecionar, dizer não e mandar na própria vida. Ou, pelo menos, pronta para começar a fazer isso a partir de agora, baseada nas experiências, na sabedoria interior, no faro... mas, para isso, há que se assumir esta força e essa mulher que aí existe que quer ser o que é sem restrições, sem machismo nem feminismo, apenas SER sem preconceitos e com liberdade. Vamos dispensar, de uma vez por todas, essa energia velha de dependência emocional que me cheira a vampirismo mais do que qualquer outra coisa - e isso vale para homens e mulheres.

Amar é diferente de entregar o mais precioso de si numa bandeja querendo algo específico em troca e depois se decepcionar, porque quem se decepciona é porque se iludiu e quem se ilude é porque não quis enxergar a verdade, e sim suas próprias expectativas projetadas. Que expectativas são essas que levam sempre ao mesmo malfadado resultado? Só podem ser expectativas irreais. Pense no tempo que você leva tentando curar uma ferida causada pelas ilusões e caia fora desse ciclo vicioso, porque infelizmente o "amor" ruim, esse bem sofrido e doloroso, é algo que vicia e prende as pessoas, e pode levar à destruição quase total de um coração.

Suas relações são feias, destrutivas, torturantes? Péssimo sinal, você está totalmente fora do prumo porque está desconectada do seu poder pessoal, você precisa começar do zero, construir um novo eu, fortalecer-se, empoderar-se, mudar essa frequência que só capta lixo energético.
Seja lá o que você tanto deseja, está dentro de você, somente dentro de você, não procure em coisas, muito menos em pessoas, simplesmente pare de procurar. Permita-se ser agora aquela parte de você que ainda não foi, mude a dimensão, altere a rota, pule pela janela, abra suas asas e voe, ouse, realize-se, antes que todo o seu tempo passe e você chegue à conclusão que deveria ter voado, ousado, realizado e não o fez porque estava muito ocupada procurando a coisa errada no lugar errado.

Carla Lampert
Focalizadora de Círculos Femininos, Mestra Reiki certificada pelo Sistema Usui Shiki Rioho, Bailarina e Instrutora de Dança do Ventre
http://www.femininoessencial.blogspot.com
carlalampert@yahoo.com.br
PORTO ALEGRE/RS
 
Série Temática Edição Absoluta/Amores. Coordenação e Design: RICARDO MARTINS.